Voltar para o blog

Afinal de contas, o que é um certificado A3? Entenda!

Bruno Lacerda
Bruno Lacerda 12/02/2024
Afinal de contas, o que é um certificado A3? Entenda!

Segurança

Neste mundo cada vez mais digital, a segurança da informação é sempre uma prioridade de todos nós. Para profissionais de uma empresa em constante movimento, por exemplo, o uso de ferramentas que garantam a autenticidade e a integridade de documentos passa a ser essencial. É por isso que precisamos falar sobre o certificado A3, uma tecnologia que vai muito além de uma simples assinatura eletrônica.

Talvez você esteja se perguntando: o que exatamente é um certificado A3 e quando ele precisa ser utilizado? Podemos afirmar que é uma solução que acaba substituindo identificações físicas e assinaturas. Afinal de contas, além de permitir o uso digital, ele garante a mobilidade das pessoas, já que você pode levá-lo para qualquer local.

Neste texto, tiramos todas as suas dúvidas sobre esse certificado. Continue a leitura para saber mais e conhecer os diferentes tipos de certificado A3 existentes! Vamos lá?

O que é um certificado A3 e para que ele serve?

Estamos falando de um registro digital em suportes físicos móveis, como cartão e token-USB. Esse certificado representa a segurança digital, proporcionando identificação segura por meio de chaves criptografadas. O certificado A3 pode ser aplicável tanto a pessoas físicas quanto a pessoas jurídicas, e é uma peça-chave para aumentar a segurança nas transações eletrônicas.

O token-USB e o cartão são os principais suportes físicos para o certificado A3. Enquanto o token é bem parecido com um pendrive, o cartão armazena registros no chip, seguindo a lógica de um cartão de crédito. Mas como escolher um ou outro? Bom, a escolha entre eles dependerá das suas necessidades específicas, lembrando que o token é conectado diretamente às entradas USB do computador e o cartão exige um dispositivo leitor.

É importante mencionar que o uso do certificado A3 requer a instalação do software do certificado digital no computador e a conexão do dispositivo. Durante o processo de assinatura ou identificação, o sistema solicita o PIN, uma senha numérica que adiciona uma camada adicional de segurança. O software pode ser facilmente baixado, permitindo uma flexibilidade para o uso do certificado A3 em ambientes externos.

Desde assinar documentos digitais até identificar-se para acessar sistemas como E-Social e E-CAC, o certificado A3 é um selo de confiabilidade. Essa tecnologia acaba oferecendo grande mobilidade, pois a sua identidade digital pode acompanhá-lo para qualquer lugar, em qualquer dispositivo que atenda aos requisitos mínimos de instalação do software, como ter uma versão atual do Java.

Temos visto que as transações digitais estão ganhando cada vez mais espaço, não é mesmo? Portanto, o certificado A3 passa a ser uma ferramenta indispensável para realizar negociações e fechar contratos, por exemplo, sem precisar de assinaturas manuais e de tanta papelada.

Como o certificado A3 se diferencia do A1?

É fundamental que você entenda as principais diferenças entre eles. O certificado A3, armazenado em suportes móveis como token-USB ou cartão, oferece mobilidade e autenticação via PIN, sendo ideal para profissionais que precisam assinar documentos remotamente.

Já o certificado A1, armazenado localmente no computador, dispensa suportes físicos e realiza autenticação local, sendo mais conveniente para operações centralizadas.

A escolha entre ambos depende do equilíbrio entre mobilidade e conveniência, com o A3 sendo preferível para situações remotas e o A1 para operações centralizadas em um único dispositivo.

Tenha em mente que tanto o certificado A3 quanto o A1 oferecem o mesmo nível de segurança para suas informações. A escolha entre eles vai depender da praticidade que você está buscando. O certificado A3 é a melhor opção se você busca mobilidade, permitindo o acesso em qualquer lugar. Já o certificado A1 atende às necessidades internas, pois nele as chaves são instaladas em um computador, e não terão a mobilidade do certificado A3.

O que garante a autenticidade do certificado digital?

A autenticidade do certificado digital é garantida por vários mecanismos e processos seguros implementados pelas Autoridades Certificadoras (ACs), seguindo padrões e protocolos estabelecidos. Veja os principais elementos que asseguram a autenticidade do certificado digital:

  • Infraestrutura de Chaves Públicas (ICP): a autenticidade é fundamentada na Infraestrutura de Chaves Públicas, um conjunto de normas e procedimentos que garantem a segurança na emissão e utilização de certificados digitais;
  • chave criptográfica privada: cada certificado digital possui uma chave criptográfica privada que é única e pertence ao titular do certificado. Essa chave é usada para assinar digitalmente documentos e transações, garantindo a autenticidade da origem;
  • assinatura digital: a assinatura digital, criada pela chave privada do certificado, é anexada a documentos ou transações eletrônicas. A verificação dessa assinatura por meio da chave pública correspondente atesta a autenticidade do certificado e, por consequência, do titular;
  • Autoridade Certificadora (AC): a AC é uma entidade confiável responsável por emitir, renovar e revogar certificados digitais. A AC valida a identidade do titular antes de emitir um certificado, contribuindo para a autenticidade do processo;
  • processo de validação presencial: muitas vezes, a validação da identidade do titular ocorre presencialmente durante o processo de emissão do certificado. Isso adiciona uma camada adicional de segurança, garantindo que a pessoa solicitando o certificado é quem diz ser;
  • Políticas de Certificação (PC): as Políticas de Certificação são documentos que estabelecem os procedimentos e regras aplicáveis aos certificados digitais emitidos por uma AC específica. Elas ajudam a garantir a consistência e segurança nos processos.

Como obter o certificado A3?

O processo para obter o A3 é bem simples. Veja um passo a passo para garantir que você adquira seu certificado digital de forma eficiente e segura!

Escolha a sua AC (Autoridade Certificadora)

O primeiro passo é selecionar uma Autoridade Certificadora confiável. Escolha aquela que atenda às suas necessidades e ofereça suporte adequado. Diversas opções estão disponíveis no mercado, então certifique-se de fazer uma escolha bem informada.

Selecione o certificado mais adequado

Dentro da Autoridade Certificadora escolhida, selecione o tipo de certificado que melhor atende às suas demandas. Certificados A3 podem ser utilizados para diversas finalidades, como e-CPF, e-CNPJ, NF-e, e-jurídico, e-contador, entre outros. Escolha aquele que corresponde à sua necessidade específica.

Apresente a documentação

Organize os documentos necessários para a validação do seu certificado. Geralmente, são exigidos documentos de identificação pessoal, comprovante de residência, e, dependendo do tipo de certificado, documentos adicionais como CNPJ e contrato social para certificados de pessoa jurídica.

Agende a validação

Entre em contato com a Autoridade Certificadora escolhida para agendar a validação presencial. Este processo é essencial para garantir a autenticidade das informações fornecidas. Na validação, sua identidade será confirmada, e a AC vai realizar os procedimentos necessários para emitir o certificado A3.

Como você pode ver, o certificado A3 é fundamental para segurança digital, proporcionando uma identidade confiável. Sem dúvidas, ele é a garantia de que a autenticidade e segurança prevalecem em cada assinatura digital, sendo, portanto, indispensável para a confiança nas operações digitais do dia a dia.

E aí, gostou de saber mais sobre o certificado A3? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de deixar a sua opinião? É só comentar aqui para que possamos ajudá-lo!

Gostou? Inscreva-se e receba novidades!

Bruno Lacerda
Escrito por

Bruno Lacerda

Graduado em análise e desenvolvimento de sistemas, possui MBA em gestão estratégica de TI pela FGV com extensão internacional pela Universidade da Califórnia, Irvine. Lidera o time de tecnologia da eBox. Mais de 18 anos de experiência em tecnologia da informação, gestão documental e terceirização de processos, tendo, inclusive, conquistado certificações relevantes nestas áreas ao longo da carreira.

Confira outros artigos

Dados digitais: o que são e como armazená-los?

Gestão

Dados digitais: o que são e como armazená-los?
Leia mais
4 dicas de como implementar a gestão com foco em processos

Organização

4 dicas de como implementar a gestão com foco em processos
Leia mais